Uma das maiores preocupações dos donos de animais é em relação aos cuidados veterinários. Pensar em medicamentos, tratamentos, cirurgias… essas coisas sempre nos tiram o sono. Por falar em cirurgia, a parte da anestesia é algo de extrema importância, e poucas pessoas costumam buscar discernir entre as variadas técnicas de sedação.

O primeiro passo para saber qual é a melhor anestesia para o animal é, antes de qualquer, fazer os chamados exames pré-operatórios. É nessa etapa que o veterinário cirurgião irá analisar, por exemplo, a função renal do cachorro, gato, etc. A importância dessa análise diz respeito a maneira como determinado composto irá ser eliminado na urina. Enfim, outro exemplo que podemos dar – e deve estar incluindo dentre esses exames – é um hemograma completo.

O animal também acaba tendo alguns fatores para determinar qual anestesia tomar. Um animal  mais idoso, por exemplo, tende a ter um cuidado maior, mesmo o avanço tecnológicos das cirurgias em pets.

Pronto. Os exames estão prontos e agora é preciso decidir qual será o melhor tipo de anestesia para o animal. Vamos conhecer as principais vantagens e desvantagens dos dois mais conhecidos: a anestesia inalatória e anestesia injetável.

Na anestesia inalatória, a principal característica é que o anestésico irá atuar no cérebro do animal através do vapor, que antes passou pelo pulmão e circulação arterial. A metabolização não será feita pelos rins e sim pelas vias respiratórias.

Dentre as vantagens estão:

– Pode ser feito em qualquer idade.

– A metabolização é quase que imediata.

– O animal tem uma recuperação mais rápida

As desvantagens são:

– O profissional deve ser extremamente bem qualificado, além de exigir um equipamento mais elaborado.

A anestesia injetável é mais indicada para animais mais idosos, obesos e que tenham algum tipo de problema relacionado aos seus rins. Em caso de operações relacionadas à amputação, acaba sendo mais indicado também.

Já a anestesia injetável, por sua vez, tem no seu princípio a injeção via intravenosa e intramuscular, e o anestésico passa para o sistema renal do animal para ser metabolizado e só daí ir para a circulação arterial e atingir o córtex cerebral. A eliminação, como deu pra perceber, é através do sistema renal.

As vantagens são:

– É mais prático para aplicar.

– Costuma ser mais barato.

– Tem mais praticidade na aplicação.

Entre as desvantagens estão:

– Tem uma recuperação mais vagarosa.

– O relaxamento muscular é mais limitado.

– Carência de antagonistas.

É indicado para animais mais saudáveis e mais novos. Curiosamente, os felinos são mais adaptáveis para os anestésicos injetáveis.

Comentários

comments